Como preparar a convenção do condomínio com 3 dicas

convenção do condomínio com 3 dicas

Se tornou um síndico, mas não sabe como preparar a convenção do condomínio? Não quer enfrentar os desafios que a maioria dos síndicos enfrenta, e obter o sucesso para a sua gestão?

A convenção de condomínio é uma lei, criada para garantir a boa gestão do condomínio. Com ela, é possível garantir o bem-estar dos moradores e a harmonia de todos os processos do condomínio, assegurando que existam regras de convivência.

Como preparar a convenção do condomínio?

A convenção é criada pelos condôminos, e só é aprovada se a maioria dos moradores aprovar durante a assembleia, e quem supervisiona essa elaboração é o próprio síndico!

Mas, como elaborar a convenção do condomínio? É isso que você aprenderá aqui!

Já adianto para você: é preciso ter a mente aberta e entender que, como um síndico, você deve representar os interesses dos condôminos e, por isso, precisará escutá-los.

Que tal ler sobre redução de despesas para o seu condomínio? Leia este post sensacional feito para você: 3 dicas para a redução de despesas de condomínios

1 – Ouvir nunca é demais

Como os moradores são os responsáveis por organizar as regras de convivência da convenção, é necessário escutá-los, coletar sugestões, e, como síndico, reunir todas essas ideias e elaborar a convenção de forma definitiva.

Para isso, você precisa se reunir com os moradores, ouvir cada uma das ideias, e entrar em um consenso com todos eles. Afinal, se a convenção for elaborada sem o consentimento de todos, significa que você não estará representando os moradores, portanto, sua gestão terá cometido falhas.

Elabore uma convocação formal para os moradores que irão participar da elaboração da convenção, faça anotações e, após ter tudo definido, convoque os participantes novamente, pois será preciso que todos estejam alinhados e aprovem a convenção final.

2 – Áreas comuns – o elemento-chave da sua gestão

O uso das áreas comuns do condomínio é, quase sempre, fonte de controvérsia.

Cada morador possui um ponto de vista diferente sobre as regras de utilização desses locais, bem como os horários. Portanto, é preciso que todos estejam de acordo com o que for definido, justamente para evitar conflitos no futuro, visto que esse tema é fonte de discussão e discórdia entre moradores.

Portanto, determine, com os moradores, o que pode e o que não pode, bem como os horários para utilizar as quadras esportivas, piscinas, áreas de exercícios e de lazer etc.

3 – Regras, punições e terceirização!

Deixe claro o que acontece com o morador que desobedece o que ficou estabelecido na convenção. Perceba que, quando essa informação não fica clara ou acessível para os moradores, a possibilidade de deslizes acontecerem só aumenta, pois não existe uma “garantia” de que haverá uma punição.

Mas, entenda que, para isso, é preciso que as regras estejam visíveis e acessíveis para todos. Não basta apenas definir a convenção e não deixar isso à mostra para que os moradores possam ser guiados. Veja: comunicação nunca é demais!

Você sabe qual a função de uma administradora de condomínio? Leia sobre o assunto agora mesmo: O que uma administradora de condomínios faz?

E, por fim, compreenda suas limitações como síndico. Você não precisa ter domínio sobre finanças e outras questões burocráticas, desde que saiba que é possível terceirizar esses serviços para uma administradora de condomínios. A Total, por exemplo, é uma empresa que presta esse tipo de serviço para os síndicos, proporcionando mais tempo para que esses profissionais cuidem dos interesses dos condôminos, além de facilidades para o trabalho.

Seja diferente, inove, evolua, inscreva-se em nossa newsletter !

Aproveite e confira dicas para administrar áreas comuns do condomínio!

Em caso de dúvidas, ou se quiser conhecer mais, entre em contato com a Total!

Sucesso e até a próxima.